Um casal, uma crônica

Os dias choveram, viraram meses, e o homem e a mulher se reencontram ao acaso.

Combinaram um almoço. No qual ele disse: “Você tá magra, né?”

“Você está querendo dizer que eu era gorda?”

“Não...”, ele sorriu, e ela sorriu, e depois tiveram uma tarde como as de antes da chuva, uma tarde branda, de pastelinho de maçã e torta de sorvete e café com cardamomo e livros baratos e o sol nas construções antigas, depois no rio (ou lago).

“E aí gostou?”, ele disse.

“Foi perfeito”, ela respondeu. “MAS EU AINDA NÃO ACREDITO QUE VOCÊ ME ACHAVA GORDA."


Nenhum comentário:

Postar um comentário