Short cuts: só mesmo rindo

O tornozelo esquerdo foi operado pé algumas vezes, não adiantou, está doendo, às vezes acabo no ortopedista. Numa dessas, numa viagem, num médico de ocasião: 

Está explicado porque você vive caindo. Esse dedo (ele apontava o anterior ao dedão) é quase do mesmo tamanho que o dedão. Isso atrapalha o seu equilíbrio. 
Eu: Como assim?
Médico: Nas pessoas normais...VEJA BEM, NÃO ESTOU QUERENDO DIZER QUE VOCÊ É DEFORMADO..., mas normalmente as pessoas têm esse dedo menor que o dedão.... 

Depois usei os meus dedos anormais para dirigir e seguir viagem. E continuo desequilibrado.

*** 

Você resolve fazer doces cristalizados. Cozinha muitas bananas por muitas horas, com açúcar, mexendo. Ferve numa grande panela e depois deixa o figo no forno. Passa açúcar nos doces. Com paciência. Acomoda em assadeiras. Leva ao sol. Deixa lá. Secando. Faz muito calor. Os pingos começam. Você comemora a chuva, o cheiro da terra molhada. E se lembra dos doces. 

*** 

Anos atrás, finalizei feliz o vagabundo e vinífero sagu com creme, que chegou a ser um dos possíveis nomes da nossa revista de Escrita Criativa – que por sua vez nunca chegou a ser –, e perambulei pela Floresta da cidade do outono glorioso, parando pra comprar um Nabokov e entrando em cima (da hora) e embaixo (do banco [Santander]) pr’O artista, que ganhou vários Oscars, mas nenhum deles pro cachorro, que era de longe o que mais merecia (assim como Baleia em Vidas secas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário