Memória de minhas páscoas tristes

Assim que acordamos falei pra ela procurar os modestos chocolates que eu tinha escondido pelo quarto (modestos porque queria ter comprado ovinhos de Nhá Benta, mas não tive recursos). 

“Ah, não, Luís.” 
“Vai, procura só um pouco.” 
“Não comprei chocolate pra você.” 
“Tudo bem, não tem problema.” 
“Mas eu te trouxe trufas (ela tinha feito trufas pra levar no trabalho e tinha me dado algumas na sexta), minhas trufas estavam ótimas.” 
“Estavam mesmo”. 

Então ela fez que procurou e “tá bom, não achei, agora fala onde estão”. Um estava debaixo da cama; o outro dentro do guarda-roupa, era só abrir a porta. Mas todas as portas já estavam irremediavelmente fechadas.

(2011)

Um comentário: